Para os Corajosos

Para uma experiencia mais arrepiante, apague as luzes, use fones de ouvido e deixe as musicas do nosso player rolarem, enquanto lê as postagens do blog.
Ou se não tiver coragem desative o player e ascenda a luz, e fique bem perto da mamãe.

Algo Estranho


O que eu irei contar para vocês é TOTALMENTE REAL. Aconteceu comigo. Eu tinha por volta de 5 ou 6 anos quando passei por essas situações estranhas. Minha mãe sempre me dizia que eu tenho pouquíssimas obrigações a cumprir, e uma delas é forrar a minha cama. Tarefa muito mais do que simples, mas que um dia, se tornou algo assustador. Como de costume, peguei o lençol e o cobertor, e fui no quintal sacudi-los.
Estendi-os no varal, e deixei arejando um pouco. Quando fui pegar os lençóis, ouvi um barulho um pouco estranho, mas nada fora do comum. Era uma espécie de chiado (como quando a antena da televisão não capta mas um canal e começa a chiar), porém, estava baixo. Fiquei um pouco assustada, mas continuei a fazer o que estava fazendo. Ao entrar no meu quarto, vi uma espécie de vulto passando por traz da janela (nessa época, a janela do meu quarto era veneziana), foi numa velocidade incrível. Quando isso aconteceu, tranquei a porta do meu quarto, e deitei na minha cama. Eu pensava  que era algum ladrão, na verdade, estava torcendo para que fosse. Se não me falha a memória, fique no quarto durante uns 20 minutos. Então, abri a porta, e sai "de fininho" do quarto. Fui em direção à cozinha, peguei um copo e coloquei praticamente no centro da mesa, abri a geladeira, e peguei uma garrafa de água gelada. Quando fui fechar a porta da geladeira, só ouvi um barulho de copo caindo no chão, tomei um mega-susto. Quando isso aconteceu, coloquei a garrafa de água encima da mesa, e fui correndo para a sala. E nisso, ouvi o mesmo chiado, só que extremamente alto. Aquele barulho ficou "latejando" na minha cabeça. Com pressa, peguei a chave, abri a porta e fui em direção ao portão da minha casa. Sai de casa e desci para a casa da minha avó (casa de baixo). Estava desesperado e chorando muito. Quando contei para a minha avó, ela não acreditou e me disse que era coisa da minha cabeça. Fiquei extremamente irritada por ela não ter acreditado em mim, então, resolvi não contar o acontecido a mais ninguém, por que tenho certeza que ninguém acreditaria em mim.
Enfim, não sei muito bem se o que aconteceu foi algo do tipo "Sobrenatural", mas que eu fiquei desesperado eu fiquei.
Acredite se quiser, mas a história é real.

0 Comentários:

Postar um comentário