Baal


Baal (em hebraico בַּעַל) é uma palavra semítica que significa Senhor, Lorde, Marido ou Dono (Dom). Baal é representado em grego como Belos e em latim como Belus. Esta palavra em hebraico é cognata de outra em acádio, Bel, com o mesmo significado.
A forma feminina de Baal é Baalath, o masculino plural é Baalin, e Balaoth no feminino plural. Esta palavra não tinha conotação exclusivamente religiosa, podendo ser empregada em relações pai e filhos (por exemplo) não sendo obrigatória uma separação hierárquica.

Baal Bíblico:

Comparação bíblico-judaica com mitologia da região

A determinada altura na história dos antigos habitantes da zona da Mesopotâmia começou a existir uma confusão relativa à identificação dos deuses. Cada lugar adorava uma mesma divindade, mas com um nome diferente e isto tudo fomentou a dificuldade de hoje em identificar a diferença entre os deuses.ex: o baal introduzido em Israel por Acabe foi Baal-Melkart.Mas havia outros como Baal-Zebube, o nome Belzebu (usado frequentemente no Novo Testamento para definir o príncipe dos demônios) nada mais é do que uma pronúncia mais fácil do mesmo nome.

Mais tarde Baal deu origem a Beliel o qual vem grandemente referido até no novo testamento. Este personagem teve a sua origem muito anteriormente como o príncipe do mundo epíteto que lhe garantia uma superioridade em relação aos outros componentes da divindade desta época. Este deus era conhecido também por Enki - O Senhor da Terra. [carece de fontes]

Na Bíblia se faz referência a Baal que poderia ser um epíteto de Hadad ou Adad que era uma divindade cananeia e suméria. Um deus da fertilidade.

Este deus Adad dos sumérios viria a ser o deus Sin dos acádios mais tarde, pai da bíblica Astarte (filisteus) e do seu irmão Camos ou Camoesh. Ambos também fizeram parte da mitologia Suméria e Acaádia, como Ishtar e Shamash.
Relato bíblico

Em Canaã, os Hebreus lutaram em várias épocas contra a adoração do "deus" Baal. No Livro dos Juízes (da Bíblia Hebraica), o hebreu Gideão destrói os altares de Baal e a árvore sagrada pertencente aos Midianitas.

Mais tarde, o profeta Elias, no século IX a.C., condenou o Rei Acabe por adorar Baal.
Outros homônimos

Mica, seu filho; Reaías, seu filho; Baal, seu filho; (1 Crónicas 5:5)
Referencias bíblicas

    Números 22:41 (Os Hebreus tinha Altares a Baal)
    Juízes 2:13 (o povo de Israel serviram Baal e Asteroth)
    Juízes 6:25 (Deus manda destruir o Altar de Baal)
    1 Reis 16:31 (Jeroboão adora Baal)
    1 Reis 18:19 (Desafio entre Yahweh, Baal e Asteroth)
    1 Reis 22:54 (Acazias adora Baal)
    2 Reis 10:19-28 (Jeú arma uma cilada aos sacerdotes de Baal)
    2 Reis 11:18 (Destruição do Templo de Baal)
    2 Reis 17:16 (Novamente adoração a Baal)
    2 Reis 23:05 (Referência aos adoradores de Baal, da Lua, do Sol e de outros astros.)
    2 Crónicas 23:17 (A morte de Matã o sacerdote de Baal)
    Jeremias 2:8 (O profeta questiona o poder dos sacerdotes de Baal e outros deuses)
    Jeremias 7:9 (Adoração a Baal entre pecados como o furto e o assassínio)
    Jeremias 11
    Jeremias 12:16 (Juras por Baal)
    Jeremias 19:05 (Sacrifícios de crianças a Baal)
    Jeremias 23:13 (Samaritanos loucos profetas de Baal)
    Jeremias 32:29 (Os caldeus adoraram Baal)
    Jeremias 32:35 (Outra referência ao sacrifício de crianças)
    Oseias 2:8 (Milagre)
    Oseias 13:1 (Efraim morre por ser culpado por Baal)
    Sofonias 1:4 (O profeta refere-se aos ídolos)
    Romanos 11:4

Fonte: Wikipédia

0 Comentários:

Postar um comentário